Blog

Lucas Lanzoni
18.03.2019

Influenciadores – Quem são? O que fazem? Onde vivem?

As transformações no mercado que tornaram o marketing de influência a grande aposta das empresas em 2019 Se cada evolução tecnológica trouxe consigo debates e discussões sobre o impacto que teriam no mercado e no consumo das pessoas de um modo geral, o surgimento das redes sociais não foi uma exceção. Quando Facebook, Instagram e YouTube se popularizaram, muitos especialistas não pouparam previsões das transformações que o futuro traria para as marcas. E, como sempre, muitas tendências se confirmaram e muitas outras ficaram pelo caminho. Hoje, quando vou a algum debate ou palestra para falar sobre marketing de influência, muitas pessoas, inclusive nos bastidores, me perguntam se essa é a nova febre da publicidade. O fato é que utilizar a credibilidade de alguém para aumentar a conscientização ou julgamento de produtos e serviços é usado desde pelo menos 1760, quando na China um ceramista começou a usar endossos de membros da família real para impulsionar vendas de cerâmica. A diferença é que antes as empresas buscavam entrar nas discussões patrocinando programas de TV, grandes blockbusters e eventos para alcançar seu público e associar sua marca a celebridades como forma de promover seus produtos. Como o público em geral tinha acesso limitado aos seus artistas favoritos, os formatos eram igualmente limitados. É aí que entram nessa equação a internet e as redes sociais. Elas não só mudaram a forma como as pessoas consomem produtos e conteúdo, mas também como elas criam conteúdos. Nas redes sociais, cada subcultura promoveu o surgimento de milhares de comunidades e muitas outras milhares de pessoas se

Pedro Berbes
20.02.2019

[Infográfico] Quem são os microinfluenciadores?

Você sabe quem são os microinfluenciadores? Para entender um pouco melhor esse tipo de perfil realizamos uma pesquisa com mais de 6000 criadores de conteúdo da nossa base e levantamos uma série de tópicos: gênero, idade, categoria, localização geográfica e mais. Para entender um pouco melhor esse tipo de perfil realizamos uma pesquisa com mais de 6000 criadores de conteúdo da nossa base e levantamos uma série de tópicos: gênero, idade, categoria, localização geográfica e mais. O resultado dessa pesquisa, a segunda edição do infográfico “Microinfluenciadores. Quem são? O que fazem? Onde vivem?”, você confere aqui .

Pedro Berbes
05.02.2019

[eBook] Macro e microinfluenciador: qual é o melhor para a sua campanha?

Um questionamento que sempre recebemos aqui na Squid é: qual o melhor “tipo” de influenciador para a minha estratégia? Microinfluenciadores ou macroinfluenciadores? E a resposta para essa pergunta é simples. Depende. Apesar de não existir uma receita de bolo, cada tipo de criador de conteúdo tem um poder. Enquanto os macro conversam com uma audiência ampla, transmitindo a mensagem para muitas pessoas, os micro conversam com uma audiência reduzida e bastante nichada. No fim das contas, o que vai ditar a cara da sua estratégia é a necessidade que a sua empresa tem. Para ajudar a esclarecer um pouco mais sobre o marketing de influência, seus conceitos e a efetividade que cada influenciador tem na sua estratégia, tivemos a ideia de criar um eBook sobre o assunto. O conteúdo está disponível na apresentação abaixo e disponível para download. Microinfluenciador vs Macroinfluenciador: qual é melhor para a sua campanha?

Pedro Berbes
30.01.2019

As 07 tendências para o marketing nas redes sociais em 2019

Se você está em busca das grandes tendências para o marketing nas redes sociais em 2019, você veio ao lugar certo. De nano influenicadores a micromarcas, juntamos sete previsões que ajudarão você a entender quais são as novas oportunidades de mercado. Confira aqui quais os caminhos para tornar a sua presença no meio digital cada vez mais forte e também como trabalhar com influenciadores digitais. 1. Nano influenciadores Se o último ano foi marcado pelos microinfluenciadores, podemos esperar para este ano a participação cada vez maior dos nano influenciadores nas campanhas publicitárias nas redes sociais.Diferentemente dos criadores de conteúdo “comuns”, com dezenas de milhares (ou até milhões) de seguidores, os nano influenciadores possuem pouco mais de mil seguidores e são escolhidos justamente por terem uma audiência pequena. Apesar de soar estranho num primeiro momento, o grande diferencial é o comportamento desse tipo de criador de conteúdo e como a audiência o enxerga. Por serem perfis relativamente pequenos se comparados aos das celebridades, a audiência é composta majoritariamente por amigos, fazendo com que a mensagem passada não só tenha altíssima credibildiade como também tenha um tom de surpresa, já que uma perfil “pequeno” está sendo patrocinado. A chave para selecionar os nano influenciadores é simples: perfis com bom conteúdo, uma quantidade pequena de seguidores e um bom engajamento (a receita é semelhante a de perfis maiores). Além disso, por se tratarem de pessoas que não tratam o marketing de influência como uma profissão, as negociações de parcerias tendem a ser mais fáceis, fazendo com que esses influenciadores sejam mais acessíveis. 2.

Pedro Berbes
03.12.2018

Como identificar perfis falsos no Instagram

Hoje em dia as mídias sociais são, sem sombra de dúvidas, parte da nossa sociedade. Ora um, ora outro, sempre vai existir um lugar para as pessoas se reunirem no meio digital. Por terem como missão proporcionar aos usuários experiências reais e interações genuínas ao mesmo tempo que servem como meio de divulgação e de presença online para marcas, as plataformas acabam atraindo muita atenção e, consequentemente, muito dinheiro. Com isso em vista, todos os envolvidos, pessoas e marcas, enxergam nas redes sociais uma ótima fonte de fazer dinheiro. Porém, como qualquer outra fonte, sempre existem as pessoas que tentam burlar o funcionamento padrão de cada plataforma com a intenção de ter ainda mais vantagens. Sejam marcas ou influenciadores digitais, sabemos que o nosso meio está cheio delas. #Mudanças no Instagram Foi por conta dessas pessoas que o Instagram lançou, recentemente, uma verdadeira incursão contra os perfis que possuem números fake de seguidores, curtidas e comentários. Apesar de ter se tornado uma prática comum, a compra de seguidores nunca foi permitida pelos termos de uso da plataforma – e não poderia ser diferente. Como noticiado no blog do Instagram, a plataforma criou uma ferramenta baseada em machine learning para identificar os perfis que utilizam ferramentas para compra de engajamento e seguidores, notificando esses usuários e removendo os números “falsos”. A medida, que faz parte dos esforços do Instagram em proporcionar uma experiência mais autêntica, não será apenas momentânea. Os perfis que continuarem com essa prática começarão a ver suas experiências na plataforma afetadas, com a diminuição na exposição e até mesmo com a exclusão da conta. Apesar de parecer

Pedro Berbes
19.11.2018

RD Summit: confira o que rolou no evento

O RD Summit 2018 acabou (ahhhh!) e estivemos por lá, acompanhando de perto todo o evento. Muito conteúdo incrível foi compartilhado por profissionais de renome e representando muito bem a Squid lá em Santa Catarina estiveram a Thais Bellotto, nossa Coordenadora de Negócios, e o Felipe Oliva, CSO da Squid. Eles desembarcaram em Florianópolis para os 3 dias de palestras, quase 25 horas de conteúdo e deram mais de 33 mil passos para circular entre as 3 tendas, main stage, outras duas salas e a feira de negócios. Ufa! O evento, maior do nicho no país, reuniu mais de 12 mil pessoas e mostrou para o público grandes tendências do mundo do marketing digital. Para trazer um pouco do que vimos por lá, resolvemos trazer a nossa cobertura do evento, com muita informação, conteúdos e hacks. Então, bora lá descobrir os principais tópicos abordados? Satisfação do cliente no centro do seu negócio Sua empresa ainda bate meta de vendas? Saiba que essa métrica pode estar ultrapassada e, possivelmente, prejudicando seu negócio. É claro que toda empresa saudável precisa de vendas e, na teoria, vender mais traz mais resultados e garante o lucro do negócio, certo? Segundo os renomados Todd Eby (SuccessHACKER), Monica Adractas (Facebook Workplace) e Guilherme Lopes (Resultados Digitais), essa lógica não é tão exata e simplista assim. Todas as (incríveis) palestras giraram em torno de um conceito: Customer Success. Ter seu cliente satisfeito e gerar recorrência para a compra do seu produto ou serviço, no longo prazo, é mais benéfico para sua empresa do que tentar vender um produto